sexta-feira, 10 de abril de 2015

1 - O Começo

O Começo 

    Bom nasci no dia 17 de Junho de 1998, na cidade de São Paulo. Meu nome? Katerine Tolomei Estonelly. Meus pais se chamam Nancy Tolomei e Philipy Estonelly. Vou contar um pouco da minha historia.
    Quando tinha 5 anos meus pais se separaram, foi muito doloroso ver eles se separando. Meu pai sempre quis que eu morasse com ele, mas eu nunca quis sempre morei com a minha mãe. Ela nunca deixou transparecer, mas ela sofreu muito com a separação.
    Tirando esse episodio fatídico da minha vida, minha criação foi uma das melhores, sempre mantive contato com a família do meu pai, apesar do meu avô ser meio arrisco comigo e minha avó materna mora em Siena na Itália, mas sempre que dá nos vamos fazer uma visita a minha avó e a família de lá.

    Meu pai mora atualmente em Londres com a atual mulher dele. Já faz bastante tempo que eu não vejo ele. Minha mãe trabalha em uma agencia de modelos e vai ser promovida, ela vai se torna a diretora de uma filial em Paris e com ela não sabe direito como vai ser lá, ela vai me deixar com meu pai ate ela estar estabilizada financeiramente. Meu pai já fez minha matricula na nova escola e eu vou entrar no meio do semestre e sem conhecer ninguém, uma estranha na escola que legal.
    Hoje é sexta feira e eu vou sair com meus amigos já que esse vai ser o nosso ultimo dia juntos. Meu pai chega amanhã e vai resolver os últimos problemas com o advogado e domingo nos embarcamos pra Londres. Estava terminando de arrumar minha mala quando meu celular começou a tocar, era a Manu:

Mensagem On 
"E ai vaquinha tudo certo pra hj? xx Mah"
"Tudo certo. Vou me arrumar , vc vai passar aqui?"
"Claro. Em meia hora passo ai bjos. xx"
Mensagem Off 

    Coloquei meu celular de volta na mesinha e abri meu guarda roupa que estava parcialmente vazio e peguei um short jeans e uma regatinha, coloquei uma sapatilha e e peguei um casaquinho fino, passei um pouco de rímel e gloss, peguei meus documentos e dinheiro e coloquei no bolso do short. Soltei meu cabelo e joguei ele pro lado, peguei o celular e mandei mensagem pra Manu avisando que já estava descendo.

    Sai do quarto e quando cheguei na sala minha mãe estava conversando com um amigo da empresa que ia pra Paris com ela o Mike.

    - Oi Mike - falei quando parei na frente da minha mãe.
    - Oi Kathe - ele sorriu e eu sorri de volta.
    - Mãe eu vou sair com a Manu e os meninos ta? 
    - Ta bom. Só toma cuidado e juízo. E se seu pai ligar você me avisa.
    - Sim senhora. - dei um beijo na bochecha dela e fui em direção a porta, peguei minha chave e destranquei-a 
    - Kathe você tem dinheiro ai?
    - Sim - mandei um beijo e sai do apartamento, tranquei a porta e coloquei a chave no bolso, chamei o elevador e logo estava lá em baixo. Cumprimentei o porteiro e e fui esperar a Manu do lado de fora. Passou alguns minutos e eu vi ela atravessando a rua, ela mora no prédio da frente  e consegue se atrasar. 
    - Oi coração - ela me abraçou - Desculpa é que minha irmã esta em casa e ela reclamou um pouquinho com a minha mãe sobre ela me deixar sair tanto . Agradeça a Deus por não ter irmãos mais velhos. 
    - Tudo bem amor. Você avisou os meninos que nós já estávamos esperando eles?
    - Sim e o Fe falou que já tinha saído de casa - ela terminou de falar e vimos o Felipe virando a rua. 
    - Onde as mocinhas estão indo uma hora dessas? - o Felipe falou perto da gente 
    - Estamos esperando uns amigos ai - ela falou chegando mais perto dele.
    - Hum... E ninguém falou pra vocês que é perigoso meninas bonitas ficarem ate tarde na rua? - ele abraçou a Manu pela cintura 
    - Mas como consegue ficar cada dia mais bobão - falei e ele me mostrou a língua 
    - Meninas meu carro teve que ir pra revisão porque estava dando problema no freio então vamos ter que ficar por aqui mesmo. 
    - Sem problemas. Fe o Leandro não veio? - perguntei 
    - Então vamos ter que passar la pra pegar ele, porque ele falou que a mãe dele esta achando que ele vai sair pra se meter em encrenca por causa da ultima vez.
    - Aah sim. Então é melhor irmos - começamos a caminhar em direção ao ponto de ônibus.
    - Se vocês quiserem a gente pode ir de táxi. 
    - Deixa o táxi pra quando a gente voltar que já vai estar tarde. 

    Chegamos no ponto e tinha bastante gente, sexta feira a noite né. Entramos no ônibus e eu fiquei escutando musica com o fone do Felipe já que ele estava se pegando com a Manu. me virei pra trás e falei:

    - Sem querer atrapalhar vocês ai mas eu acho que já esta chegando. - eles pararam e o Fe olhou pela janela.
    - Verdade - ele levantou e deu sinal. 
    - De nada também. - fui atrás deles e descemos do ônibus.
    - Muito obrigada Kathe - ele me abraçou e meu deu um beijo babado na bochecha 
    - Eca - empurrei ele - Baba de Manu e Felipe misturada - fiz cara de nojo e limpei minha bochecha 
    - É assim?  - a Manu me olhou com uma cara indignada e veio pra mais perto de mim. - Você não devia ter feito isso - ela segurou meu rosto e lambeu minha bochecha 
    - Ai Manuella que nojo isso - falei limpando minha bochecha de novo, o Felipe estava de costas pra gente falando no telefone. 
    - O Leandro já está vindo, ele vai encontrar a gente aqui. Agora é minha vez de te dar uma lambida? 
    - Não por favor chegar de lambidas - falei colocando as duas mãos nas bochechas.
    - O que eu perdi? - uma voz falou atrás de mim, me virei e era o Leandro 
    - Nada de interessante, apenas essas duas pessoas lambendo minha bochecha.
    - Não acredito que perdi isso - ele falou rindo. 
    - Pra onde vamos? - a Manu perguntou enquanto se abraçava no Fe.
    - Eu estava pensando em irmos no shopping que tem aqui perto. - o Leandro respondeu.
    - Pode ser - o Felipe respondeu. - Tudo bem pra você Kathe? - assenti - Então vamos - ele segurou a mão da Manu e saiu andando na frente e eu e o Leandro fomos atrás. 

Entramos no shopping eles ficaram me olhando:

    - O que foi? 
    - E ai onde vamos? - a Manu perguntou.
    - Não sei. Onde vocês querem ir? 
    - Vamos no cinema? - o Leandro perguntou
    - Pode ser - respondemos todos e subimos pro cinema que era no andar de cima.