quarta-feira, 22 de julho de 2015

3 - Surpresa

Cinema 

   Acordei com meu celular tocando, tirei ele do bolso e atendi nem vendo quem era: 

     - Kathe onde você está?
     - Mãe? - perguntei meio sonolenta 
     - Sim Kathe. Onde você está? 
     - Na casa do Leandro.
     - E nem pra avisar, você sabe que horas são? Porque não me liga avisando que ia ficar ai? 
     - Mãe desculpa eu me esqueci. Eu já estou indo pra casa okay? 
     - Não demore.

   Ela desligou o telefone. Levantei e acordei a Manu e os meninos:

    - Eu preciso ir embora. Minha mãe ligou e ela está muito puta comigo.
    - Eu acho que meus pais já chegaram. Vou pegar a chave do carro e levo vocês lá - o Leandro falou levantando e indo para o corredor. - Vamos - ele voltou.
    - Mas não temos que arrumar aqui? - a Manu disse.
    - Não precisa. Qualquer coisa eu durmo aqui sem problemas. - assentimos e saímos do apartamento

   Entramos no elevador e fomos pra garagem, pegamos o carro e fomos pra minha casa. Chegamos rapidinho em casa me despedi dos meninos e entramos no prédio, a Manu ia dormir lá em casa. Entramos no elevador e logo estávamos no 12° andar, peguei a chave do bolso e destranquei a porta, rodei o trinco e abri bem devagar a porta pra fazer o minimo possível de barulho. Entramos e as luzes da sala estavam acessas e dava para risadas desconhecidas, olhei pra Manu que estava me olhando com uma cara estranha de quem não estava entendendo: 

     - Mãe? - coloquei a chave no porta chaves e fui andando pelo corredor bem devagar.
     - Na sala - ela respondeu, Quando cheguei na sala nem acreditei no que vi, meu pai estava ali, fiquei sem reação e meus olhos se encheram de lágrimas e eu corri pra ele que estava de braços abertos me esperando. Ele me abraçou e me ergueu um pouco do chão
      - Como você cresceu Kathe - ele me apertou - Como eu senti sua falta meu amor - ele sussurrou no meu ouvido.
      - Eu também pai, muita mesmo - sussurrei de volta e ele me colocou no chão e eu limpei meu rosto - Eu pensei que o senhor só chegasse amanhã.
     - Nosso voo foi antecipado algumas horas e chegamos aqui mais cedo. Ai eu liguei para sua mãe e ela disse que você não estava em casa e pensamos em fazer uma surpresa para você. 
      - Meu Deus pai eu quase morri do coração.
      - Seu coração é forte. Nossa já ia esquecer, essa é a Rebeca minha esposa. - ele puxou a moça que estava sentada no sofá. 
      - Prazer - ela falou em português sorrindo, ela é linda, tem a pele branca como a minha, cabelo castanho e e olhos caramelos e um corpo perfeito. 
      - Prazer - dei um beijinho na bochecha dela - Essa é minha melhor amiga, Manuella - apontei pra Manu que estava do lado da minha mãe. 
      - Oi - ela sorriu tímida - E só Manu, por favor, só minha mãe me chama de Manuella e quando ela esta muito brava.
       - Claro - meu pai respondeu sorrindo 
       - Vocês já jantaram meninas.
       - Sim. Jantamos no shopping.
       - Okay. Então vamos dormir, já esta tarde e amanhã vocês matam a saudade - assentimos e eu abracei meu pai, fomos abraçados até o quarto onde ele ia dormir, deixei ele lá e voltei pro meu quarto onde a Manu já estava. 
       - Você esta feliz? - ela perguntou enquanto eu encostava a porta.
       - Muito. Tanto que eu nem consigo expressar - me joguei na cama e ela sentou do meu lado.
       - Então fico feliz por você.
       - Tem alguma coisa? O que foi Manu? - me sentei 
       - Ah é só que seu pai já esta aqui, então isso. Sei lá só temos mais um dia juntas e depois acabou... - ela abaixou a cabeça 
       - Minha princesa - abracei ela - Poxa, não fica assim. Você sabe que a escolha não foi minha, eu não posso brigar com meus pais. Eu também não quero me mudar agora, não depois do que o Leandro me falou hoje. 
       - Ele criou coragem pra contar - ela me olhou espantando.
       - Você sabia? 
       - Kathe todo mundo já sabia, só você não tinha percebido.
       - Nossa. Me senti até sei lá... - levantei da cama indo até o guarda-roupa, peguei um pijama pra mim e outro pra Manu.
       - Todo dia eu tentava te contar, mas o Fê nunca deixava. Ele dizia que isso era uma coisa sua e do Leandro. Eu ficava muito puta com ele - ela pegou o pijama que eu tinha jogado na cama.
       - Você deveria ter me contado Manuella. Quem sabe as coisas não teriam sido diferentes?
       - Vocês ficaram? - ela perguntou tirando a blusa dela e colocando a do pijama.
       - Ficamos. Mas, sei lá... Eu peguei que ia ser diferente... Ah você sabe Manu... - tirei meu casaco e minha regata e coloquei meu pijama favorito de coruja, que é meu animal preferido. 
       - Porque você gosta dele? 
       - É... Mas, foi normal. Como quando eu fiquei com o Pedro. Normal. - peguei meu celular e deitei na cama de barriga pra cima, colocando meu celular em cima da mesma. 
       - Será que alguém superou a paixão por ele? Minha menininha esta crescendo - ela  disse virando de bruços e apertando minha bochecha.
        - Cala a boca Manu. Eu só acho que não esta tão forte com antes. Mas esquece. 
        - Pensa pelo lado bom você vai pra Londres e pegar qualquer menino que você quiser. Olha que maravilha. Se fosse comigo eu ia estar ferrada. 
        - Ah claro, até porque eu já peguei muitos meninos na minha vida. Vou chegar lá pegando geral.
        - Eu aposto que você vai achar vários meninos legais lá e quem sabe sua paixão verdadeira não esta lá? 
        - Manu você já esta falando merda - dei risada - E melhor você ir dormir - ela me mostrou a língua e se arrumou na cama.
        - Eu só falo a verdade - ela pegou o celular dela - Já que você não quer conversar comigo, vou conversar com o mozão.
        - Então beleza - mostramos a língua uma pra outra e ficamos mexendo no celular até pegar no sono. 

sábado, 27 de junho de 2015

2 - Cinema

Cinema

    A fila para comprar os ingressos estava razoavelmente grande:

      - Que filmes vamos assistir? - a Manu perguntou
      - Vingadores por favor - o Leandro fez uma carinha fofa 
      - Pode ser - respondi rindo 

    Entramos na fila pra comprar os ingressos, Leandro me puxou pra perto dele e eu encostei minha cabeça no ombro, enquanto ele colocava os braços na minha cintura. Depois de 20 minutos, compramos os ingressos e fomos comprar as pipocas e os refrigerantes, depois entramos na sala de cinema. Sentei com o Leandro no fundo da sala e a Manu e o Felipe sentaram algumas fileiras na frente da nossa. O Leandro pegou um pouco de pipoca e jogou neles, o Felipe virou e mostrou o dedo do meio pra ele me fazendo dar risada. Logo a sala começou a encher e logo o filme começou. Quase no final do filme o Leandro segurou na minha mão e entrelaçou nossos dedos. 

      - Kathe? - ele sussurrou
      - Oi - respondi me aproximando dele 
      - Deixa, quando nos sairmos daqui eu te falo.
      - Você sabe que eu sou curiosa.
      - Você tem mesmo que ir? - ele se arrumou na poltrona ficando meio virado pra mim e levantou o encosto onde estava nossos braços
      - Você sabe que sim. Mas, porque isso agora? Hoje eu só queria curtir vocês sem me lembrar que eu vou embora domingo.
      - Eu sei que isso é muito egoísta da minha parte, mas eu não queria que você fosse... Eu acho que descobri uma coisa... Mas, já é muito tarde pra dizer...
      - Le eu não estou te entendendo - ele colocou uma mão no meu rosto e se aproximou juntando nossos lábios num beijo cheio de desejo, ele colocou a outra mão na minha coxa e apertou de leve. O Ar começou a faltar e separamos nosso rosto.
      - Kathe eu estou gostando de você - ele falou olhando nos meus olhos 
      - Eu não sei o te responder - abaixei minha cabeça. 
      - Não precisa responder nada - ele acariciou minha perna.

    O filme terminou, ele levantou e se espreguiçou, peguei o pacote de pipoca e as latinhas vazias e me levantei também, descemos e eu fui jogar o lixo na lata de lixo, quando voltei pra perto do Leandro e Manu e o Felipe já tinham descido também. Saímos da sala de cinema e fomos pra praça de alimentação, entramos na fila do Mc Donalds. enquanto a fila não andava o Leandro me puxou pra ele e me deu um selinho, depois um beijo na testa, encostei minha cabeça no peito dele. Depois de pedirmos nossos lanches ficamos esperando eles ficarem prontos, pegamos e fomos sentar, ficamos conversando sobre assuntos aleatórios.

      - E agora onde vamos? - o Felipe perguntou
      - Sei lá - respondi encostando minhas costas na cadeira.
      - Vamos na livraria rapidinho e depois vamos embora - a Manu falou
      - Okay - respondi

     Levantamos, jogamos o lixo fora e fomos ate a livraria. Eu sai da livraria com 3 livros novos. Pegamos um sorvete e fomos andando ate o apartamento do Leandro;
   
      - Vamos subir, meus pais fora jantar e ai quando eles chegarem eu pego a chave do carro e levo vocês pra casa - assentimos e subimos.

     Entramos no apartamento e resolvemos assistir um filme pra passar o tempo, fiquei na sala com  Manu enquanto os meninos foram pegar os colchões pra colocar na sala, o filme escolhido foi "Amizade Colorida", o Le sentou do meu lado e deu play no filme, minha ultima lembrança foi de ter dormido encostada no Leandro...

Oláááá eu disse que ia postar no sábado, mas não disse em qual. Bom o importante é que aqui esta o capitulo. Mas, eu ia postar no sábado passado, só que eu fui viajar e ai eu não consegui postar. Espero que tenham gostado. 

Beijocas :*

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Desculpas :(

    Olá pessoal, eu vim aqui pra pedir desculpa pela demorar pra postar o segundo capitulo, mas agora eu estou em reta final do segundo bimestre , fechamento de nota, entrega de trabalhos e isso esta me deixando louca.
   E eu também estou com "começo de tendinite" na mão direita, e tem dia que eu não consigo segurar a caneta pra nada. Doí demais... Mas, o segundo capitulo já esta pronto e assim que der eu vou postar, provavelmente no sábado, que eu já vou ter entregue praticamente todos os trabalhos espero eu.
  Amanda é obvio que eu não me esqueci de você, mas, eu pensei que você tinha se esquecido de mim... Desculpa não ter respondido seus comentários eu nem tive tempo, mas eu li e fiquei muito feliz mesmo. Eu tinha ficado super na duvida sobre fazer o post da sinopse ou não e resolvi postar já o primeiro capitulo de cara e eu mudei totalmente a historia não tem nada igual a antiga...
   Então é isso até sábado ou antes beijinhos :* <3

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Sinopse 

Duas metades que se encaixam, mas algo não bate, aqueles olhos turquesa não são totalmente sinceros, não há mentiras, mas há sofrimento e desconfiança e um sonho a ser destruído...


Personagens Principais 
Katerine Tolomei 
Idade: 17 anos 
Apelido: Kathe 

Nicholas Stwart 
Idade: 19
Apelido: Nick 


sexta-feira, 10 de abril de 2015

1 - O Começo

O Começo 

    Bom nasci no dia 17 de Junho de 1998, na cidade de São Paulo. Meu nome? Katerine Tolomei Estonelly. Meus pais se chamam Nancy Tolomei e Philipy Estonelly. Vou contar um pouco da minha historia.
    Quando tinha 5 anos meus pais se separaram, foi muito doloroso ver eles se separando. Meu pai sempre quis que eu morasse com ele, mas eu nunca quis sempre morei com a minha mãe. Ela nunca deixou transparecer, mas ela sofreu muito com a separação.
    Tirando esse episodio fatídico da minha vida, minha criação foi uma das melhores, sempre mantive contato com a família do meu pai, apesar do meu avô ser meio arrisco comigo e minha avó materna mora em Siena na Itália, mas sempre que dá nos vamos fazer uma visita a minha avó e a família de lá.

    Meu pai mora atualmente em Londres com a atual mulher dele. Já faz bastante tempo que eu não vejo ele. Minha mãe trabalha em uma agencia de modelos e vai ser promovida, ela vai se torna a diretora de uma filial em Paris e com ela não sabe direito como vai ser lá, ela vai me deixar com meu pai ate ela estar estabilizada financeiramente. Meu pai já fez minha matricula na nova escola e eu vou entrar no meio do semestre e sem conhecer ninguém, uma estranha na escola que legal.
    Hoje é sexta feira e eu vou sair com meus amigos já que esse vai ser o nosso ultimo dia juntos. Meu pai chega amanhã e vai resolver os últimos problemas com o advogado e domingo nos embarcamos pra Londres. Estava terminando de arrumar minha mala quando meu celular começou a tocar, era a Manu:

Mensagem On 
"E ai vaquinha tudo certo pra hj? xx Mah"
"Tudo certo. Vou me arrumar , vc vai passar aqui?"
"Claro. Em meia hora passo ai bjos. xx"
Mensagem Off 

    Coloquei meu celular de volta na mesinha e abri meu guarda roupa que estava parcialmente vazio e peguei um short jeans e uma regatinha, coloquei uma sapatilha e e peguei um casaquinho fino, passei um pouco de rímel e gloss, peguei meus documentos e dinheiro e coloquei no bolso do short. Soltei meu cabelo e joguei ele pro lado, peguei o celular e mandei mensagem pra Manu avisando que já estava descendo.

    Sai do quarto e quando cheguei na sala minha mãe estava conversando com um amigo da empresa que ia pra Paris com ela o Mike.

    - Oi Mike - falei quando parei na frente da minha mãe.
    - Oi Kathe - ele sorriu e eu sorri de volta.
    - Mãe eu vou sair com a Manu e os meninos ta? 
    - Ta bom. Só toma cuidado e juízo. E se seu pai ligar você me avisa.
    - Sim senhora. - dei um beijo na bochecha dela e fui em direção a porta, peguei minha chave e destranquei-a 
    - Kathe você tem dinheiro ai?
    - Sim - mandei um beijo e sai do apartamento, tranquei a porta e coloquei a chave no bolso, chamei o elevador e logo estava lá em baixo. Cumprimentei o porteiro e e fui esperar a Manu do lado de fora. Passou alguns minutos e eu vi ela atravessando a rua, ela mora no prédio da frente  e consegue se atrasar. 
    - Oi coração - ela me abraçou - Desculpa é que minha irmã esta em casa e ela reclamou um pouquinho com a minha mãe sobre ela me deixar sair tanto . Agradeça a Deus por não ter irmãos mais velhos. 
    - Tudo bem amor. Você avisou os meninos que nós já estávamos esperando eles?
    - Sim e o Fe falou que já tinha saído de casa - ela terminou de falar e vimos o Felipe virando a rua. 
    - Onde as mocinhas estão indo uma hora dessas? - o Felipe falou perto da gente 
    - Estamos esperando uns amigos ai - ela falou chegando mais perto dele.
    - Hum... E ninguém falou pra vocês que é perigoso meninas bonitas ficarem ate tarde na rua? - ele abraçou a Manu pela cintura 
    - Mas como consegue ficar cada dia mais bobão - falei e ele me mostrou a língua 
    - Meninas meu carro teve que ir pra revisão porque estava dando problema no freio então vamos ter que ficar por aqui mesmo. 
    - Sem problemas. Fe o Leandro não veio? - perguntei 
    - Então vamos ter que passar la pra pegar ele, porque ele falou que a mãe dele esta achando que ele vai sair pra se meter em encrenca por causa da ultima vez.
    - Aah sim. Então é melhor irmos - começamos a caminhar em direção ao ponto de ônibus.
    - Se vocês quiserem a gente pode ir de táxi. 
    - Deixa o táxi pra quando a gente voltar que já vai estar tarde. 

    Chegamos no ponto e tinha bastante gente, sexta feira a noite né. Entramos no ônibus e eu fiquei escutando musica com o fone do Felipe já que ele estava se pegando com a Manu. me virei pra trás e falei:

    - Sem querer atrapalhar vocês ai mas eu acho que já esta chegando. - eles pararam e o Fe olhou pela janela.
    - Verdade - ele levantou e deu sinal. 
    - De nada também. - fui atrás deles e descemos do ônibus.
    - Muito obrigada Kathe - ele me abraçou e meu deu um beijo babado na bochecha 
    - Eca - empurrei ele - Baba de Manu e Felipe misturada - fiz cara de nojo e limpei minha bochecha 
    - É assim?  - a Manu me olhou com uma cara indignada e veio pra mais perto de mim. - Você não devia ter feito isso - ela segurou meu rosto e lambeu minha bochecha 
    - Ai Manuella que nojo isso - falei limpando minha bochecha de novo, o Felipe estava de costas pra gente falando no telefone. 
    - O Leandro já está vindo, ele vai encontrar a gente aqui. Agora é minha vez de te dar uma lambida? 
    - Não por favor chegar de lambidas - falei colocando as duas mãos nas bochechas.
    - O que eu perdi? - uma voz falou atrás de mim, me virei e era o Leandro 
    - Nada de interessante, apenas essas duas pessoas lambendo minha bochecha.
    - Não acredito que perdi isso - ele falou rindo. 
    - Pra onde vamos? - a Manu perguntou enquanto se abraçava no Fe.
    - Eu estava pensando em irmos no shopping que tem aqui perto. - o Leandro respondeu.
    - Pode ser - o Felipe respondeu. - Tudo bem pra você Kathe? - assenti - Então vamos - ele segurou a mão da Manu e saiu andando na frente e eu e o Leandro fomos atrás. 

Entramos no shopping eles ficaram me olhando:

    - O que foi? 
    - E ai onde vamos? - a Manu perguntou.
    - Não sei. Onde vocês querem ir? 
    - Vamos no cinema? - o Leandro perguntou
    - Pode ser - respondemos todos e subimos pro cinema que era no andar de cima.